ESE: Capítulo 4

Ele acorda.

 

Em uma estrada de terra pouco movimentada.

 

Essa estrada passava em frente ao Mar de Trinity. Esse mar era considerado perigoso pois as pessoas que tentavam ir até o seu fundo nunca mais voltavam. Isso era para todos. Não importava se você era do 1 ou do 5 passo. O mar o mataria.

 

Na estrada de terra duas pessoas caminhavam.

 

O primeiro era um idoso. Seus cabelos haviam caído e ele andava meio inclinado para frente. Usava um manto branco e caminhava com as mãos nas costas. Seus olhos estavam entreabertos, ele parecia estar quase dormindo ao mesmo tempo que andava. Ao seu lado havia uma jovem.

 

Ela aparentava ter 15 anos e seus cabelos eram pretos e escorriam até seus ombros. Seus olhos eram castanhos e sua pele pálida. Ela usava um longo vestido branco. Apenas o seu movimento de andar já era cheia de graça. Em suma, ela era muito bonita.

 

Enquanto os dois andavam calmamente lado a lado pela rua de terra um ser se levantou do mar.

 

A menina parou seus passos e olhou para a criatura com o cenho franzido. O velho parou e olhou para a criatura.

 

“Uma besta aquática?”

 

A criatura se arrastou até a pequena praia que havia. Assim que chegou até a praia a criatura parou.

 

A menina olhou atentamente para a criatura e tentou descobrir o que era. O velho deu uma rápida olhada e então falou: ”Não é uma besta. É um ser humano.”

 

A menina se virou e olhou assustada para o velho:”Humano??” O velho assentiu. Ela então correu rapidamente até o humano na praia. Ela tocou em seu corpo e como não viu nenhuma resposta franziu o cenho: “Morreu?”

 

O velho se aproximou do humano e colocou um dedo em sua testa ”Está vivo, mas não parece que vai durar por tanto tempo.”

 

“Temos que ajudá-lo!” Disse a menina.

 

*Suspiro*

 

O velho suspirou e não falou nada. Sua neta era uma pessoa muito boa.

 

Ele se abaixou e segurou o humano com os dois braços.

 

“Vamos levá-lo até a cidade.” Disse o velho.

 

A menina assentiu e então eles correram a toda a velocidade.

***

“Uhnn…” One esfregou seus olhos. E começou a acordar lentamente. Em poucos segundos ele já estava com os olhos abertos. Seus olhos azuis brilhavam novamente. Ele olhou ao seu redor e percebeu que estava em um quarto.

 

Ele olhou para o lugar a qual estava deitado e sorriu:”Isso aqui é uma cama? É muito gostoso de dormir aqui.”

 

One nunca havia dormido em uma cama. O máximo que ele podia chamar de cama era um lugar de palha onde ele dormiu por alguns dias.Apesar de nunca ter dormido em uma ele sabia como era e por isso reconheceu a cama no momento que a viu.

 

Ele saiu da cama calmamente e foi até a janela que havia do lado da cama. E o que ele viu fez com que se surpreendesse.

 

Pessoas passavam de lá pra cá. Algumas andavam de carroças, outras de cavalo e a grande maioria andava a pé. Também havia alguns que gritavam seus produtos.

 

“10 Cristais de Mrittler por 2 moedas de prata!”

 

“Um cavalo com sangue da Besta Scandinaff por 8 moedas de prata!”

 

“Conjunto de armadura completo – Sangue Valente, dizem as lendas que essa armadura foi usada por um grande cultivador! Estou vendendo-a por 15 moedas de ouro!”

 

One não estava surpreso por ver as pessoas, mas sim por outra coisa. O seu ambiente. Ele viveu longos três anos no castelo do Senhor Liu e nunca havia ido a uma cidade nesse tempo. Na verdade, ele nunca havia visitado uma cidade pois cresceu em uma pequena vila.

 

Seus olhos brilhavam de excitação. Ele achou estranho estar em uma cidade assim do nada. Ele só lembrava de estar minerando e de repente viu um cristal a qual nunca tinha visto. Ele era roxo brilhante, mas também era meio translúcido. Em suma, um cristal estranho. Quando pegou o cristal ele apagou.Sentia uma dor excruciante rasgando sua alma e triturando seu corpo. A tortura do Senhor Liu parecia brincadeira quando comparada a essa. Mas depois de algum tempo essa dor excruciante começou a ser gentil. Parecia tratá-lo com muito zelo.

 

Era só isso que One se lembrava. Ele estava na mina e de repente apareceu em um quarto na cidade.

 

One olhou para sua mão e percebeu que suas unhas pareciam estar de volta no lugar. Ele sentia seu corpo forte e cheio de energia.

 

“Eu escapei de você Senhor Liu… não importa o que apareça na minha frente eu superarei” Ele cerrou os punhos quando falou isso. Seus olhos azuis brilhavam com teimosia. A teimosia de querer viver, não importando quem se metesse em sua frente. Sua vida desde o nascimento até o presente foi cheia de desgraça, mas e daí? Muitas outras crianças devem ter passado pelo mesmo. Esse era o pensamento de One.

 

Ele nunca usaria a desculpa de sua vida ser cheia de imprevistos e desespero. Isso era uma coisa fútil de se fazer. Ele tinha 13 anos, mas sua mentalidade era muito superior à de uma criança de 13 anos.

 

*Rrrgnn*A porta se abriu enquanto rangia.

 

Uma menina entrou pela porta, mas One não notou pois estava perdido em seus pensamentos.

 

Ela olhou para as costas de One e quando estava prestes a falar ele se virou.

 

Seus olhos se encontraram. O cenho de One estava franzido e quando ele olhou para a menina, ela ficou estagnada. Aqueles olhos azuis pareciam ter o poder de ver através dela, mas isso foi só por um instante. Após ele parar de franzir o cenho essa sensação sumiu. Os olhos que olhavam para ela eram somente lindos olhos de cor azul tão lindo quanto cristais.