ESE: Capítulo 20

Permissão.

 

Os homens se entreolharam e depois olharam para One.

 

“Então foi você que o ordenou para que nos enganasse?” Disse o homem mais alto entre eles.

 

A expressão de One era de pura calma. Ele olhou para os homens, mas não falou nada.

 

“Foi realmente você! Desgraçado! Sabe o quanto perdemos?” Disse um dos homens, que tinha uma cicatriz no nariz.

 

Como One parecia não se importar com seus xingamentos eles, obviamente, pensaram que o quê o jovem dissera era verdade: O seu jovem mestre armou tudo.

 

Apesar dos homens estarem furiosos, eles ainda não atacaram. Um deles, o mais baixo, observou One cuidadosamente.

 

‘Porque um jovem carregaria três espadas?…’Enquanto pensava ele olhou nos olhos de One e seu coração tremeu:’Nunca vi olhos tão puros… realmente… os mestres de escravos pagariam uma fortuna..’

 

O homem, apesar de estar meio receoso ainda chegou a sua conclusão, ele pegaria o jovem de olhos azuis puro e o venderia, tornando-se assim uma pessoa rica!

 

E então ele deu a ordem:”Peguem-no vivo! Tenho alguns planos onde ele pode ser útil.”

 

Após escutarem essas palavras os homens sacaram suas espadas e sorriram viciosamente para One. O mais alto deles então pediu:”Deixei ele para mim!”

 

Os homens apesar de quererem triturar os ossos e beber o sangue do ‘jovem mestre’ eles ainda concederam o pedido:”Só não o mate, irmão mais velho.”

 

O homem alto sorriu e então avançou na direção de One. Com sua espada na mão ele cortou horizontalmente na direção da barriga de One. Ele não pretendia matá-lo, só fazer um ferimento que impedisse One de revidar. E então o homem com um sorriso vicioso no rosto sorriu:”Hahaha, o que você acha da minha velocidade? Eu sou o mais rápido entre nós, irmãos! Você não deve nem conseguir acompanhar!”

 

Quando o homem estava a um metro de distância de One e cortava horizontalmente com sua espada, o ‘jovem mestre’ olhou calmamente nos olhos do homem.

 

A expressão do homem afundou. Ele podia ver naqueles olhos as seguintes palavras:

 

“Velocidade? Essa é sua velocidade?”

 

Suor escorreu pelas costas do homem, mas felizmente a espada cortou a carne de One.

 

*Thiiing*

 

Ou não.

 

O homem tremeu e a espada quebrou. Sua expressão era de espanto quando olhou para One, que continuava calmo como sempre. Ele estava prestes a recuar quando de repente One deu um passo.

 

*Bblooohh*

 

*Craack*

 

O homem cuspiu sangue e voou por cinco a seis metros. Tudo havia acontecido tão rápido, que ele só sentiu seu estômago ser chutado. Os ossos de seu peito quebraram e ele estava ficando inconsciente. Antes de perder a consciência ele falou murmurou uma palavra

 

“C-culti..vado..rrr.”

 

A expressão dos outros homens mudou para espanto e logo depois medo. Até o jovem, que havia usado One como bode expiatório, estava de boca aberta.

Os homens começaram a tremer e então One olhou calmamente para eles. Sem pedido algum eles se ajoelharam e começaram a implorar.

 

“M-M-Meu L-orde! Meu Jo-v-vem Mestre..!”

 

Algumas pessoas que passavam pela estrada de terra, pararam para assistir o show.

 

“O que está acontecendo?”

 

“Não sei… aquele jovem me parece ser um cultivador…”

 

“Nessa idade? Ele deve ser de uma grande família!”

 

Os homens tentaram falar essas palavras corretamente, mas o medo não permitiu. O homem mais baixo, parecia já ter morrido, mesmo que ainda estivesse consciente e bem. Sua expressão era de descrença e sua aparência era tão pálida quanto o branco puro, o suor escorria de suas costas e ele pensou na merda que acabava de fazer.

 

‘Eu podia ter simplesmente corrido… a ganância… DROGA! Eu fudi com a minha vida…’

 

Os pensamentos dos homens eram uma bagunça. Se o jovem quisesse, eles morreriam sem sombra de dúvidas, afinal, ele era um cultivador! Meros mortais como eles não eram dignos de lutar contra eles.

 

“Vocês podem sair. Corram o mais rápido que puderem, se ainda estiverem na minha linha de visão depois de meio minuto, eu os torturarei calmamente.” Disse One enquanto olhava para eles calmamente. Apesar de seu rosto mostrar inocência e seus olhos azuis serem puros, suas palavras não combinavam com isso.

 

Os homens tremeram e então começaram a correr. Eles usaram todas as forças, que tinham para se salvar. Nesse momento, ninguém pensou sobre o homem caído no chão. A sua vida ou a de outra pessoa? Obviamente, todos escolheriam a sua própria! E era isso que eles estavam fazendo. Parar para salvar alguém em meio ao desespero? Somente se seu afeto por essa pessoa fosse imenso, o que, obviamente, não era o caso para esses homens. Em muitas situações, eles roubaram as mulheres uns dos outros e em muitas vezes tentaram se matar, mas por cima dos panos eles eram amigáveis, pois precisavam ser, para viver, mesmo que não quisessem, eles tinham que confiar um no outro, mesmo que fosse apenas uma falsa confiança.

 

Em poucos segundos, só One, o homem caído no chão, o jovem e as pessoas da estrada estavam presentes. Os homens já haviam corrido por suas vidas, eles se separaram e talvez no futuro eles se reencontrassem e voltassem a viver falsamente como irmãos novamente.

 

O jovem, que havia se escondido atrás de One, estava sorrindo. Apesar de estar assustado pela força do jovem de olhos azuis, ele ainda estava feliz por ter conseguido se livrar daqueles homens. Com um sorriso no rosto ele se curvou e falou respeitosamente:”Obrigado por ter me ajudado, eu não esquecerei essa dívida!”

 

Ele então se levantou e estava prestes a partir quando de repente sua garganta foi presa. Ele se debateu e olhou cheio de espanto para o jovem de olhos azuis, que segurava sua garganta enquanto olhava friamente para ele.

 

“Quem disse que você pode sair? Você pediu permissão?” Falou friamente One enquanto olhava diretamente nos olhos do jovem.

 

 

 

  • Yuji

    to gostando, pena que ninguém comenta

    • Kallu

      O site está em seu início, então é natural :V