ESE: Capítulo 18

Um último dia.

 

Depois de algum tempo, One recuperou a consciência. Ele olhou ao redor e se levantou.

 

Ele olhou para suas mãos e as fechou. Seu corpo inteiro parecia estar cheio de energia e ele não se sentia cansado fisicamente e nem mentalmente.

 

“Funcionou?! Os quatro Qi se juntaram em mim… ” Ele sorriu:”Vamos testar.”

 

Ele então pulou na água e nadou até a pedra onde ele treinava o seu corpo.

 

A correnteza parecia não existir. Até pouco tempo ela era extremamente forte, mas agora ele sentia que a força dela havia diminuído.

 

“Não… não foi a força dela que diminuiu… eu fiquei mais forte!”

 

A correnteza já não o afetava mais. Isso significava que ele realmente havia progredido no cultivo. Agora que ele tinha certeza sobre isso, ele queria testar suas novas capacidades!

 

Facilmente ele subiu em cima da pedra a qual treinava o seu físico anteriormente e sentiu a grande força da água caindo em seu corpo.

 

“Ahaahahaa! Fantástico! Eu sinto que posso ficar dias sentados aqui sem ser afetado!” One realmente não conseguiu evitar rir. Lutar contra a correnteza até pouco tempo era extremamente difícil! O maior tempo que ele havia conseguido ficar era três horas e meia.

 

Para One, isso era muito pouco. Apesar de não poder ver certamente as horas ele podia estimar por quão alto ou por quão baixo o sol ou a lua estavam. Três horas e meia, nenhum mortal jamais alcançaria este tempo. Mesmo que nascessem com um corpo extremamente tenaz eles nunca conseguiriam quebrar o recorde de One. Felizmente ou Infelizmente, não havia ninguém para gravar isso nos livros para que as próprias gerações soubessem de tal realização.

 

“Minha resistência realmente aumentou, na verdade, ela deu um salto gigantesco! Vamos ver minha força…”

 

One olhou ao seu redor enquanto água escorria de seu rosto e pensou por um momento.

 

“Pedras eu já consigo quebrar… e que tal…?” One realmente já podia quebrar pedras facilmente. Ele foi até sua cabana e pegou uma de suas espadas de ferro, que ele havia catado dos bandidos mortos.

 

Ele desembainhou a espada. Ela não tinha o fio muito afiado. No máximo ela era usável.

 

“Não se pode esperar muito de bandidos…”

One pegou o cabo com a mão direita e a ponta da espada com a outra mão. Ele adicionou uma leve força nos dois braços e as espadas se entortaram facilmente. Não era estranho que isso acontecesse, afinal, seu corpo sozinho já havia quebrado espadas, o que ele estava fazendo não era nada mais do que uma confirmação. Quebrar espadas com a resistência do corpo era totalmente diferente de quebrar com a força pura. Ele podia ter grande resistência, mas baixa força, ou ao contrário, ter grande força, mas baixa resistência. Ter um e não ter outro não era uma coisa boa, afinal, os dois se completavam.

 

One jogou a espada, que agora estava toda e incapaz de ser utilizada, de lado e pensou sobre o que mais poderia ter mudado.

 

“Eu passei muitos meses tentando coletar o Qi neutro, será que é assim com os outros cultivadores? Uhm… acho que não… se uma pessoa for do elemento terra, essa pessoa terá que coletar o Qi da terra diretamente? Se for assim essa pessoa progrediria rapidamente no cultivo… Isso seria muito mais simples do que o meu modo…”

 

One coçou a cabeça enquanto pensava. O cabelo dele já estava quase em sua cintura e sua cor preta como a tinta contrastava com os seus olhos azuis fazendo com que ele fosse muito bonito. Infelizmente, suas roupas estavam esfarrapadas, na verdade, mais esfarrapadas do que quando ele havia entrado na floresta. Em geral, One seria considerado um jovem muito bonito e com certeza seria desejado por muitas jovens de sua idade.

 

One acendeu o fogo e se sentou entre a fogueira e água da cachoeira. O ar estava presente e a terra também.

 

Ele executou os movimentos do pergaminho como se ele nascesse para executá-los. Os olhos dele se fecharam lentamente. Em sua mente, só ele estava presente em meio a escuridão.

 

Após algumas horas ele abriu os olhos. Apesar de não ter ficado cansado ele ainda estava um pouco cabisbaixo.

 

“Vou ter que transformar o Qi dos quatros elementos em Qi neutro sempre que eu quiser progredir? Que sacanagem!*Suspiro* Injustiça está presente em tudo, até mesmo no cultivo…”

 

One olhou para o céu noturno e suspirou. Ele havia passado quase dois anos nesta floresta.

 

“Não há mais nada para mim nesta floresta… Eu decidi seguir o caminho do cultivo… Não posso me esconder aqui para sempre…”

 

Ele foi até sua cabana e deitou-se em sua cama de folhas e madeiras. Mesmo que esse lugar não tivesse nada de especial, ele havia marcado One. Não por sua beleza exuberante ou pelos animais e sim pela paz que One sempre buscou. Ele sempre quis viver em paz. Ter comida para comer e água para beber. Uma casa para chamar de lar. Ele havia conseguido tudo isso, mas acabou descobrindo que não era isso que ele queria.

 

Uma vida de paz não era para One. Talvez o seu destino tenha sido escrito nas estrelas. A paz nunca o seguiria, somente a solidão.

 

Na noite calma e silenciosa, a lua assistiu tudo, seus raios lunares afastaram a escuridão enquanto um jovem dormia em sua cama de folhas e madeira dentro de uma cabana. A água da cachoeira continuava fluindo e a fogueira a qual ele deixou acesso continuava a queimar.