ESE: Capítulo 15

Iluminação

Seis meses se passaram desde que One decidiu morar nesta floresta.

 

Os dias eram calmos, não havia nada de mais. One continuava a executar a técnica de cultivo do fogo e continuava a ter fracasso. Apesar de não ter conseguido o Qi do fogo, os movimentos que ele fazia com as mãos enquanto meditava estavam muito mais suaves, a rigidez era muito menor do que quando ele havia começado.

 

One abriu os olhos e saiu de sua meditação.Já estava de noite e ele estava com um pouco de fome por isso deu um rápido pulo na floresta. Ele logo voltou com um coelho morto e várias frutas, ele acendeu a fogueira e começou a assar a carne do coelho.Em pouco tempo ficou pronta e então One pegou a carne da fogueira e colocou em um prato de madeira que ele havia feito.Na verdade, não poderia ser chamado de prato.Era tão mal feito que parecia só um pedaço de madeira mal cortado.Apesar de ter usado uma de suas espadas ainda saiu assim.One já havia feito vários desses pratos, mas todos os outros eram piores do que o que ele usava.

 

Após colocar a carne em um prato de madeira, ele pegou uma fruta esférica amarela e a apertou fazendo com que o caldo da fruta saísse, ele então despejou isso em cima da carne.Como se não estivesse satisfeito ele pegou outra fruta. Essa fruta tinha o formato de uma maçã, mas era de cor preta. Na primeira vez, que One viu esta fruta ele ficou com medo de comê-la, mas após ver pássaros, coelhos e alguns outros pequenos animais comendo-a ele decidiu provar.A fruta era completamente salgada. Parecia sal puro.Depois de descobrir sobre isso One começou a usá-la em todas suas refeições.

 

Ele misturou bem o caldo das duas frutas em cima da carne e depois a devorou. Em três a quatro mordidas a carne de coelho sumiu sem deixar rastros.

 

Após terminar de comer ele pulou na água e começou a nadar em direção às pedras. A água da cachoeira caía e batia nas pedras. O impacto causado por isso era enorme e podia dilacerar facilmente algumas coisas.

 

A correnteza começou a empurrar One para trás, mas ele continuou nadando contra a correnteza. Pouco a pouco ele foi indo pra frente. Só para chegar até as pedras era um esforço enorme por causa da forte correnteza então imagine o quão forte seria quando ele ficasse no meio dos dois? Acima da pedra e abaixo da água que caia da cachoeira.

 

Ele chegou a frente da pedra e já estava um pouco cansado. One pôs um de seus braços em cima da pedra e fez força para subir. Com enorme dificuldade ele conseguiu subir. A água da cachoeira caía em cima dele e o empurrava pra frente. Era normal ver ele sendo forçado a dar dois a três passos para a frente, mas quando isso acontecia ele cerrava os punhos e rangia os dentes forçando a si mesmo a dar três passos para trás. Ele era obrigado a ficar de pé em cima da pedra porque se ele se sentasse com certeza seria levado pela correnteza. A força da água que caia e batia em suas costas era enorme, mas ele estava feliz por isso, pois pelo menos ele podia ocupar o seu dia e treinar o seu corpo ao mesmo tempo.

 

Ele passou por isso nos últimos três meses desde que decidiu treinar o seu corpo nesse lugar. E ele realmente podia sentir algumas mudanças em seu corpo após passar por isso. Além do mais esse lugar poderia testar sua resistência, seu vigor e também sua determinação. A determinação para nunca desistir.

 

Nesses últimos tempos One pensou sobre qual era o seu grande sonho. Qualquer pessoa deve ter um grande sonho para persegui-lo, senão eles seriam como One seis meses atrás. Sem saber para onde ir. Sem saber o que fazer.

 

One havia se decidido, seu grande sonho era ser um cultivador.Ele queria estar acima de todos, avida alheia estaria em suas mãos. Quem o desobedecesse seria condenado à morte, pois ele seria o maior cultivador do mundo! Pelo menos, era o que ele almejava se tornar.

 

Seu sonho era muito grande para uma pessoa insignificante como ele e por isso  estava treinando continuamente. Ele não queria mais ser insignificante, ele não queria mais ser um ponto em meio a vários outros.

 

One sempre foi uma pessoa muito decisiva, se ele decidisse fazer algo ninguém deveria pará-lo, se alguém o parasse ele pisoteria essa pessoa até que ela pedisse por clemência.

 

Se um exército decidisse pará-lo, ele faria rios de sangue.

 

Se o mundo decidisse pará-lo, ele faria oceanos de sangue e montanhas compostas de carne.

 

“AAAAHAAAAAA!!AREEGGHH!” One rangeu os dentes com toda a força que pôde, mas mesmo assim seus gritos soaram. Ele acabou sendo empurrado para frente e neste momento ele tropeçou. A correnteza não deu trégua e o levou.

 

Após ser levado pela correnteza ele saiu da água após muita dificuldade e deitou-se na terra. Ele estava ofegante e algumas partes de seu corpo estavam vermelhas, havia até algumas que estavam roxas. Esses eram os ferimentos que ele adquiria constantemente após ser levado pela correnteza.

 

*Suspiro*

 

Após descansar por meia hora ele se levantou e acendeu a fogueira novamente. Estava na hora de praticar a técnica de cultivo. Ele sentou ao lado da fogueira e quando estava prestes a começar a fazer os movimentos ele franziu o cenho.

 

“Nessa técnica de cultivo explica que para adquirir o Qi do fogo eu preciso extraí-lo de algum lugar que tenha isso, ou seja: a lava, a fogueira e entre outras coisas. Será que é possível aplicar isso em outros alimentos?” Ele colocou a mão no queixo e continuou murmurando: ”Se eu praticar os mesmo movimentos enquanto eu tento extrair o Qi da terra, da água ou do ar, será que irá funcionar?” Ele parecia ter recebido a iluminação.

 

“Bem….não me custa nada a tentar..”