ESE: Capítulo 11

Uma vida tranquila

Doncrow foi embora com o cadáver de Ashley.

One assistiu a isso. Após Doncrow sumir ele ficou olhando para o céu, a chuva caía em seu corpo e lavava sua roupa, o pergaminho em sua mão parecia não ser afetado pela água.

Ele olhou ao seu redor e viu os cadáveres dos homens que havia matado, o sangue no chão já não era tão evidente por causa da chuva, One olhou em outra direção, a direção em que Doncrow deixou a mulher.

Com passos lentos One foi até onde a mulher estava, várias cobras a mordiam, sua boca estava aberta e várias cobras entravam e saíam, seus olhos estavam abertos e cheios de desespero.Em suma, ela estava morta. Antes de sua morte ela definitivamente agonizou.

A mulher antes de morrer vestia uma armadura, se não fosse pela grande quantidade de cobras em seu cadáver One definitivamente pegaria a armadura. Ele foi um escravo e antes disso viveu miseravelmente em uma aldeia, por isso ele sabia que o dinheiro era importante.

Havia várias espadas no chão que anteriormente era dos bandidos, One pegou quatro delas. Devido aos bandidos terem a bainha em suas cinturas ficou mais fácil para carregar as espadas.

Em meio a chuva, One saiu daquele lugar.Ele estava sozinho novamente, largado no vasto mundo. Pelo menos, agora ele estava livre para fazer o que desejasse, mas havia um problema.

‘O que eu farei?’

Ele pensou nisso enquanto caminhava.

Tempo passou.

Dois dias após se separar de Doncrow.

Até o momento One não havia comido nada, mas não fazia diferença, pois ele estava acostumado, quando ele era escravo ficar uma semana sem comer era normal. Devido a ter chovido durante esses dois dias a água não foi um problema.

One estava em cima de um penhasco. Desse lugar ele podia ver uma floresta cercada por uma montanha. Em um dos cantos da montanha havia uma cachoeira que passava por metade da floresta. Era realmente um lugar bonito, os pássaros cantavam e ele podia ver coelhos pulando de um lado para o outro.

Para chegar a esse lugar One percorreu um grande caminho, mas não havia encontrado nenhuma cidade. Ele estava perdido. Norte, sul, leste ou oeste, ele não sabia qual era qual. Ele não tinha como se localizar, mas isso não importava.

Eu viverei tranquilamente neste lugar!’

One desceu o penhasco e foi para a floresta, seguindo sua memória ele adentrou a floresta e foi em direção a cachoeira.

*Shhhhuuushuuu*

A água da cachoeira descia do alto da montanha e batia nas pedras, logo depois seguia por um canal e atravessava metade da Floresta.

One olhou a cachoeira e sorriu:”Um ótimo lugar para se viver!”

Ele desembainhou uma das espadas e começou a cortar as árvores. Ele derrubou três árvores e fez uma pequena cabana. Era realmente pequena .Tinha somente três metros de largura e dois de altura. As madeiras eram amarradas umas nas outras com o cipó que ele havia encontrado. A cabana não tinha porta.One já havia guardado algumas coisas como suas espadas dentro da cabana. Apesar de ser inocente One não era burro e por isso ele enterrou o seu pergaminho em baixo da terra para que ninguém o pegasse, afinal, ele não sabia se havia mais alguém ou não nesta região.

Após terminar de concluir sua pequena cabana, ele a olhou e sorriu.

“Será o suficiente por enquanto.”

Ele lambeu os lábios e olhou para a floresta enquanto empunhava uma de suas espadas.

“Carne assada?Não havia isso quando eu comi com Doncrow e Ashley.” Ele correu para a floresta e foi a procura de alimentos. Apesar de estar acostumado a passar fome, quem em sã consciência escolheria isso? Se ele podia comer , ele iria obviamente comer!

Em pouco tempo ele voltou a sua cabana.Ele não tinha problema em se perder na floresta pois a sua memória era muito boa, se ele passasse por algum lugar ele jamais esqueceria.

Em sua coleta por alimentos, One consegui matar dois coelhos e pegou umas frutinhas roxas a qual ele não conhecia. Ele fez uma pequena fogueira com pedras, gravetos e a madeira das árvores e colocou um dos coelhos a assar, o outro ele iria guardar para mais tarde.

Enquanto a carne assava One pulou na água da cachoeira, ele nem mesmo tirou suas roupas esfarrapadas porque não havia razão. Elas estavam podres de sujas e ele estava aproveitando para lavá-las.

Em pouco tempo o cheiro de carne assada foi sentido por One, ele rapidamente saltou da água e pegou a carne assada. Com vontade ele a devorou, a carne sumiu em poucos minutos. Ela não havia durado nas mãos de One nem ¼ do tempo que demorou para assar.

*Icc!*

One soluçou. Ele foi até a água da cachoeira, encheu suas mãos e então bebeu.

“Ah! Essa água é muito boa!”

A noite já estava chegando e ele já estava cansado, ele foi até as árvores e coletou algumas folhas, em sua cabana ele fez uma pequena cama com folhas e madeiras.

E assim a vida de One seguiu. Não havia ninguém para conversar além de si mesmo, mas mesmo assim ele continuou vivendo.

Fim (do Arco, não da Novel)


Nota do autor (Kerb): Obrigado a todos que leram até aqui!Como vocês podem ver nos capítulos anteriores, esta novel tenta fugir um pouco do clichê, mas como vocês devem saber, isso é quase impossível. Eu posso fazer coisas nessa novel que não aconteceu em nenhuma outra, mas sempre terá que ter o tolo idiota que subestima o MC e a menina que é gamada no mc.

Bem, obviamente eu não posso fugir totalmente disso, mas.. Vocês ficarão boquiabertos por tudo que está por vir, hahahahahaha!!Opa..quer dizer…nada está por vir…afinal…a novel …

Enfim, espero que tenham gostado da novel.
Nota do Kallu: Não entendi o que ele quis dizer com essa nota anterior, mas posso garantir que o próximo arco está legal.